All Posts By

Ananda Urias

‘Eu me recuso a ser assistente pessoal da minha filha’

Quando a espanhola Noelia Lopez-Cheda passou a participar de um grupo de Whatsapp entre os pais dos colegas de escola de sua filha, ela achou que seria uma ótima ideia. Alguns meses depois, estava totalmente arrependida. Ela decidiu sair do grupo – e seu relato sobre os motivos que a fizeram mudar radicalmente de ideia virou um sucesso na internet.

Mas o que aconteceu?

“Pensei que seria uma boa forma de ficar em contato com os outros pais e saber de atividades, notícias e eventos importantes. Para muitos pais ocupados, era uma forma de economizar tempo”. Mas logo o grupo “virou um monstro”, segundo ela. Noelia passou a viver em meio a um turbilhão de mensagens sobre deveres de casa, leituras recomendadas e notas de provas.

O telefone apitava a noite toda, e a memória do celular de Noelia foi em boa parte consumida pelo grande volume de mensagens sobre a vida escolar de sua filha, Emma. Até que, em certo dia, Noelia diz ter “visto a luz”.

Ela havia acabado de chegar em casa do trabalho quando Emma, na época com 9 anos, disse que havia esquecido de trazer para casa o dever de matemática e pediu para a mãe pedir uma cópia dos exercícios pelo grupo de Whatsapp.
Noelia pegou o telefone imediatamente e começou a escrever uma mensagem, mas parou subitamente.
“Olhei para o celular e pensei: ‘O que estou fazendo? Chega'”, ela contou em seu blog.

Consequências
Apesar da reclamação de sua filha, a menina teria que ir para a escola no dia seguinte com as mãos abanando e enfrentar a consequência de ter esquecido de levar o dever para casa.
“Eu me recuso a ser a agenda escolar da minha filha por meio de um grupo de Whatsapp. Eu me recuso a ser quem faz seu dever de casa. Eu me recuso a voltar a ser uma estudante e eu me recuso a ser superprotetora a ponto de assumir as responsabilidades da minha filha”, ela disse neste dia no Facebook, onde o post recebeu muitos comentários dos amigos.

Texto original do blog da Noelia Lopez Cheda

E aí, você vai ser assistente pessoal do seu filho?
Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

A maternidade é…

A maternidade é aquela que vai te acordar de madrugada para aquecer o filho no meio da noite fria, entregar o ursinho que caiu no chão ou levar ao banheiro na escuridão.

A maternidade é aquela que vai te fazer ficar horas a fio na cozinha preparando comida atrás de comida, na tentativa de garantir bons hábitos para as crianças, mesmo sabendo que um dia elas podem negar tudo que você cozinhar.

A maternidade é aquela que vai te fazer gastar todo o seu dinheiro. 

A maternidade é aquela que vai te fazer esquecer como é ter uma noite completa de sono.

A maternidade é aquela que vai te fazer suportar os seus filhos brigando para ver quem vai olhar pela janela do carro primeiro ou sobre quem a mamãe ama mais, e nessas horas você vai querer sumir.

A maternidade é aquela que vai te fazer limpar todo o coco “do mundo” (do seu mundo)

A maternidade é aquela que vai deixar o seu carro tão sujo, mas tão sujo, mas tão sujo que até do seu marido você vai ter vergonha. Ah, um dia alguém ainda vai se espantar com a imensa quantidade de brinquedos que você tem por lá.

A maternidade é aquela que vai te fazer escutar a palavra “POR QUE” um milhão de vezes por dia, e nem sempre ter a resposta para todos os questionamentos.

A maternidade é saber apenas com um toque na testa, quase que exatamente, a temperatura que o seu filho está.

A maternidade é ter estrias pela barriga, seios caídos, pés maiores e barriga flácida (não necessariamente todos juntos ou nessa ordem!).

A maternidade é aquela que vai ter fazer, de uma forma dura, valorizar a sua própria mãe.

A maternidade é aquela que vai te fazer cantar milhões de vezes as mesmas canções infantis para os seus filhos, mesmo que você já esteja enjoada daquela repetição.

A maternidade é aquela que vai te fazer querer ficar sozinha milhões de vezes ao dia, mas quando isso acontecer vai te fazer sentir saudades da casa cheia, das brigas entre irmãos e do barulho de criança.

A maternidade é aquela que vai se sentir ‘meio doente’ várias vezes ao ano, mas lutará com todas as forças para não ficar de cama.

A maternidade é nunca ir ao banheiro ou tomar banho em paz.

A maternidade vai te fazer usar a sua blusa para limpar nariz escorrendo e ter nos ombros sempre marcas de comida.

A maternidade vai te permitir descobrir quem está chegando no seu quarto, apenas pelo som das pisadas no chão.

A maternidade é querer dizer dizer milhões de vezes por dia ‘eu te avisei’.

A maternidade é querer sumir, desaparecer, chorar, gritar… várias vezes por dia e sem parar. Até que o seu filho faça algo engraçado ou fale algo que te faça sorrir, e você vai perceber que tudo que realmente importa na vida está ali na sua frente, sorrindo ou chorando para você. Eles são seus e eles valem a pena todos os muitos sacrifícios da maternidade.

A maternidade é aquela que vai te permitir olhar com amor para os seus filhos e segundos depois, quando eles estiverem brigando ou fazendo birra, você vai querer sumir mais uma vez…

Vivendo e revivendo momentos assim. Isso é a maternidade para mim.

Tradução e adaptação por Ananda Urias de um texto orginalmente escrito por Jill Smokler’s. 

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

Sobre ser mãe em tempo integral

Eu troquei a adoração ao corpo pelo milagre de ver em minha barriga um filho crescer.
Eu troquei os meus seios intactos pelo prazer de um filho nutrir e amamentar.
Eu troquei a academia por não querer perder nenhum minuto com meu filho.
Eu troquei as noites de sono por noites ninando, alimentando e cuidando.
Eu troquei a beleza da maquiagem pela grandeza das minhas olheiras.
Eu troquei minhas roupas da moda pela praticidade de um pijamas ou uma roupa de casa, porque preciso sempre com ele brincar ou ninar.
Eu troquei o meu salto alto por sapatilhas porque ele vem em primeiro lugar, e cair com ele não colo não é algo a se arriscar!
Eu troquei meu cabelo arrumado por um coque sempre bem alto, só para poder com ele mais tempo ficar.
Eu troquei o mercado de trabalho por um trabalho árduo e sem remuneração porque não me vejo longe dos seus cuidados.
Eu troquei os banhos demorados por banhos corridos e por alguns dias sem banhos.
Eu troquei as noites em claros com os amigos pelas madrugadas em claros recebendo e dando amor.
Eu troquei minhas prioridades, eu troquei meus conceitos, eu troquei meus amores. Porque depois que eu fui mãe, eu descobri que certas trocas valem a pena! ❤️

Cada troca é ÚNICA, cada mãe escolhe o seu caminho, cada uma sabe o que faz o coração pulsar mais forte ou onde o calo aperta. Filhos não são atraso de vida, não são “desculpas esfarrapadas” para mães que não querem se cuidar! Toda a minha empatia e carinho por aquelas que voltaram ao trabalho depois de 4 meses, para quem foi a academia depois de 45 dias do pós parto, para quem não troca o salto e a maquiagem por nada. Devemos ser quem desejamos ser.

Texto: Ananda Urias

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

Porque homens não deveriam “ajudar” em casa

Texto escrito por um Homem, autor desconhecido. Vale a pena ler e divulgar!

Um amigo veio a minha casa tomar café, sentamos e conversamos, falando sobre a vida. A um certo ponto da conversa, disse: “Vou num instante lavar os pratos que ficaram por lavar”.

Ele olhou para mim como se eu lhe tivesse dito que ia construir um foguete espacial. Então ele me disse, com admiração mas um pouco perplexo: “Ainda bem que você ajuda a sua mulher, quando eu o faço a minha mulher não elogia. Ainda na semana passada lavei o chão e nem um obrigada.”

Voltei a sentar-me com ele e lhe expliquei que eu não ajudo a minha mulher. Como regra, a minha mulher não necessita de ajuda, ela tem necessidade de um sócio. Eu sou um sócio em casa e por via dessa sociedade as tarefas são divididas, mas não se trata certamente de um apoio à casa.

Eu não ajudo a minha mulher a limpar a casa porque eu também vivo aqui e é necessário que eu também limpe.

Eu não ajudo a minha mulher a cozinhar porque eu também quero comer e é necessário que eu também cozinhe.

Eu não ajudo a minha mulher a lavar os pratos depois da refeição porque eu também usei esses pratos.

Eu não ajudo a minha mulher com os filhos porque eles também são meus filhos e a minha função é ser pai.

Eu não ajudo a minha mulher a estender ou a dobrar a roupa, porque também é roupa minha e dos meus filhos.

Eu não sou uma ajuda em casa, sou parte da casa. E no que diz respeito a elogiar, perguntei ao meu amigo quando é que foi a última vez que, depois da sua mulher acabar de limpar a casa, tratar da roupa, mudar os lençóis da cama, dar banho aos filhos, cozinhar, organizar, etc., ele lhe tinha dito obrigado?
Mas um obrigado do tipo: wow!!! Minha querida esposa! Você é fantástica!!!

Isso te parece absurdo? Está te parecendo estranho? Quando você, uma vez na vida, limpou o chão, você esperava no mínimo um prêmio de excelência com muita glória… Porquê? Nunca pensou nisso, amigo?
Talvez porque para você é um dado adquirido que tudo seja tarefa dela?

Talvez você se tenha habituado a que tudo isto seja feito sem que você tenha de mexer um dedo? Então elogia-a como você queria ser elogiado, da mesma forma, com a mesma intensidade. Dá uma mão, se comporte como um verdadeiro companheiro, não como um hóspede que só vem comer, dormir, tomar banho… Sinta-se em casa. Na sua casa.

Texto: autor desconhecido

Gostaram?
Eu amei e se pudesse compartilharia milhões de vezes esse texto com todas as mulheres que sofrem por não terem um sócio em casa! A mudança real da nossa sociedade começa em nossas casas, vamos ensinar aos nossos filhos e filhas o real sentido do companheirismo!

Beijos,
Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

15 razões para deixar o seu filho com o papai

Hoje, o Mãezice vai te dar 15 razões inesquecíveis para te convencer que pai e filho devem E MERECEM viver momentos a sós e cheios de diversão! Claro, que o papel do papai não é apenas esse, mas pais bem humorados e cheios de imaginação são tudo de bom. Escolhemos pela internet as 15 melhores fotos postadas nas redes sociais do mundo inteiro, que contam histórias únicas de cada família. Acima de tudo, está o bom HUMOR e a maneira divertida.
JÁ TEMOS A FANTASIA PARA O CARNAVAL, MAMÃE!
20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-1

SOBRE SER MOTOQUEIRO: PAPAI LEVOU A SÉRIO DEMAIS!20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-2

MÃE, APRENDE COM O MESTRE A AMARRAR CABELO, VAI!

DA SÉRIE: ACESSÓRIOS DE CABELO PRA QUÊ? 

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-3

PAPAI SEGURA ESSE BEBÊ! 

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-4

QUANDO PAPAI DÁ BANHO NO BEBÊ!

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-5

ELA QUERIA UM BALANÇO, ELE FOI LÁ E FEZ!

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-6

FILHO, VOCÊ JÁ ESTÁ UM HOMENZINHO. (melhor fantasia ever!)

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-7

PRESENTÃO DO DIA DOS PAIS! rs!
20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-8

10 MINUTINHOS E JÁ ESTÁ PRONTA PRO CARNAVAL!

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-9

ORDENS DA MAMÃE: CRIANÇAS, FIQUEM NA CAMA!

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-10

COMO BALANÇAR SEU FILHO COM CRIATIVIDADE

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-11

 

20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-13
20-razoes-para-deixar-seu-filho-com-o-pai-14

Espero que vocês tenham curtido!
Eu me diverti muito separando essas imagens para divertir a nossa sexta.
Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Pra que tanta pressa em ver o seu filho crescer?

Você já parou para pensar que os nossos filhos não nascem prontos para o mundo? Eles não sabem andar, se limpar, se alimentar ou se vestir sozinhos. Parece lógico, mas por que a nossa sociedade e a “cultura da boa mãe” tem tanta pressa em cortar o cordão umbilical dos nossos bebês aqui do lado de fora?
A verdade é que nove meses é muito pouco, e se você pensar direitinho: a gestação continua aqui “no nosso mundo” também.  Ao nascer, um bebê é completamente dependente da sua família. Fisicamente, se ele não tiver um cuidado o seu destino é fatal.

Emocionalmente, se ele não tiver um cuidado o seu destino é incerto e inseguro.

Não tenhamos pressa em ninar, em acalentar, em alimentar, em abraçar, em dividir a cama, em dormir a noite toda, em brincar, em AMAR. Não tenhamos pressa no maternar, porque só assim estaremos aptos a criar filhos nutridos de corpo, alma e coração para fazer a diferença nesse mundo tão doente.
Quando você estiver com pressa, lembre-se: Os dias difíceis existirão, mas a pressa é sempre a “inimiga da perfeição”.

Texto: Ananda Urias

Mãe de vida real x mãe de rede social

Na vida REAL, não existe filtro que dê jeito nas olheiras de uma mãe, no mau comportamento de um filho, na pilha de roupas para lavar, no almoço pra fazer, nos pratos a lavar… nas noites completas de sono que não conhecemos mais, nos seios rachados, nas frustrações e inseguranças maternas… Na vida real, todo mundo é normal. Normal assim, como eu e você.

Fotos lindas e textos bem escritos não fazem filho dormir sozinho, comer tudinho, tirar 10 na escola, obedecer aos pais… Fotos lindas e textos bem escritos não fazem tanta diferença assim na vida real.
Toda mãe tem dentro de si uma avalanche de sentimentos bons e ruins. Faz parte da maternidade, faz parte da arte de criar um pequeno cidadão do bem para o mundo.

Faz parte ter medo, ter raiva, sofrer, chorar, se questionar, sentir falta do que a maternidade “nos tirou”. Tirou, tira e ainda vai tirar muito mais! Mas a maternidade também te dá. Te dá um motivo INCRÍVEL para ser melhor, para acreditar em si mesma, para sorrir mesmo quando os dias cinzentos se apossam de ti.
Toda mãe tem problema, toda mãe tem dificuldades, toda mãe sofre. Os nossos problemas podem ser diferentes, mas eles existem e estão aqui!

Não se impressione com a beleza das fotos… nas redes sociais, toda mãe é legal. Já no mundo real, toda mãe é normal.
Texto: Ananda Urias

Texto escrito em homenagens as mães que perguntam ‘onde foi que eu errei’.
Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

#MAMÃEGEEK – MUSICAIS (E DESENHOS) PARA CRIANÇAS 2

Oba! Enfim, está no ar a continuação do primeiro post do #MamãeGeek, que ajudou muitas mamães com dicas de musicais interessantes e diferentes para que os pequenos aprendam se divertindo! (Clique aqui para ler o primeiro post da série). Se você está cansada de escutar todo dia a Galinha Pintadinha, Palavra Cantada, Bita e os Animais e Patati Patata, vem que esse post é pra você!

OS BOLOFOFOS (musical)

Se tem musical mais engraçado que os Bolofofos eu desconheço! Essa animação foi uma indicação de uma leitora aqui do Mãezice e nos apaixonamos de cara! Você encontra eles no youtube, e o único ponto negativo é que o projeto não tem muitas músicas, mas as que estão por lá vale muito a pena escutar. A gente adora e eles são super divertidos!
Acesse aqui o canal dos Bolofofos no Youtube

pocoyo maezice_animazoo

POCOYO (desenho animado)

Pocoyo não é bem uma novidade, mas é engraçado como as crianças são diferentes e se interessam por conteúdos diferentes, né? Lara nunca prestou atenção em Pocoyo, quando era pequena, já Alice fica vidrada na frente da TV se divertindo com essa turminha.

Assistimos Pocoyo através do Netflix.

 

 

A TURMA DO ANIMAZOO (musical)

É um musical super fofo, que tem como o maior objetivo ensinar as crianças de 0 a 6 anos um pouco sobre a preservação ambiental.  Impossível não curtir e dançar junto com essa turminha.  Aqui também faz o maior sucesso, e assistimos pelo Netflix.

maezice_oliver_netflixOliver (desenho animado)

Quem acompanha a gente no Snapchat (Maezice) já viu muitas vezes Alicinha assistindo e rindo com o Oliver. Ele é divertido, engraçado e faz tudo que as crianças fazem! Ah, um dos pontos altos desse desenho animado é que ele não é apenas feito de animação, passam muitas imagens de crianças reais e nessas horas Alice sempre fica muito empolgada, rindo e dando ‘xau’ para a televisão. rs!

Também assistimos Oliver no Netflix, onde há uma infinidade de outros desenhos animados educativos que em breve iremos explorar e trazer uma nova listinha para vocês! 🙂

Espero que vocês tenham curtido, e se tiverem sugestões de bons desenhos (diferentes e pouco conhecidos) que não estão na nossa listinha, manda pra gente! Adoramos conhecer conteúdo novo e de qualidade.

Espero que vocês tenham gostado!

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Por que o seu filho não é uma criança difícil

Crianças são seres cheios de vida, questionadores e inquietos, que estão sempre prontos para descobrir o que tem por trás de um simples ‘não’ e vivem rodeados de ‘POR QUEs’. Hoje, basta uma criança derrubar um copo de suco na mesa de um restaurante, brigar com um amiguinho na escola, questionar uma ordem, procurar explicações para aquilo que ela não entende, que já todos a sua volta praguejam: Nossa, que criança difícil!

Então, senta aqui, amiga que eu vou te falar o que o mundo ainda não percebeu: O SEU FILHO NÃO É DIFÍCIL, O SEU FILHO É UMA APENAS UMA CRIANÇA. 

CRIANÇAS NÃO SÃO DIFÍCEIS. DIFÍCIL MESMO É SER CRIADO EM UM MUNDO ONDE AS PESSOAS TEM FILHOS, MAS NÃO TEM TEMPO PARA ELES. Difícil mesmo é viver em um mundo onde as pessoas não respeitam o momento da criança, não tem paciência para os seus infindáveis QUESTIONAMENTOS, não têm empatia pelos seus medos (e que são muitos), não tem vontade de brincar e escutar as suas histórias cheias de fantasias.

Crianças não são difíceis, nós é que não temos tempo de levar uma criança até o parque, brincar no pula pula, jogá-lo para o alto, ensiná-los a andar de bicicleta sem rodinha, pintar o corpo, o papel, o chão, as paredes de casa com tinta enquanto fazem uma obra de artes em família. Perdemos a leveza de um café da manhã em família, a alegria de fazer um simples piquenique no parque ao som de sorrisos infantis, deturpamos os valores de uma infância feliz.

Uma criança ativa hoje é dona de um diagnostico de deficit de atenção, hiperatividade, dificuldade em conviver com o próximo. Uma criança ativa hoje é dopada com altas doses de tecnologia para que não faça barulho, não espalhe os brinquedos pelo chão da sala, não precise da atenção dos seus pais. Dizem até que uma criança ativa hoje é uma criança difícil de se conviver. E todos dizem em um coro só: manda a criança difícil para o psiquiatra, psicólogo, aula de inglês, espanhol, francês, natação, judô e ballet. Porque criança difícil hoje, não tem sequer o direito de brincar ou nada fazer.

Crianças dão trabalho, questionam, brincam, desobedecem, ajudam, atrapalham… e nada disso faz deles uma criança difícil de conviver. Eu demorei muito para descobrir que a dificuldade da minha filha era na verdade, a minha dificuldade em aceitar que ela não iria sempre me obedecer. Crianças não estão no mundo para suprir as nossas necessidades de auto firmação parental. Crianças não estão no mundo para nos fazer ganhar prêmios em competições maternas de redes sociais.

Grandes personalidades da história, foram crianças astutas e inquietas. E é preciso compreender que é DIFÍCIL CRESCER, é difícil descobrir quem somos! No dia que eu aceitei que difícil mesmo é ser criança nesse mundo engessado e cheio de regras, onde crianças são tratadas como adulto, muita coisa mudou por aqui.

O seu filho não é uma criança difícil, ele é apenas uma criança ansiando por viver o que de melhor o mundo tem para oferecer.

Texto: Ananda Urias

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Dicas para tirar lindas fotos do seu filho

Não existe nada que substitua um bom ensaio fotográfico profissional em família, não é? Mas no dia a dia, queremos fazer belos registros do crescimento dos nossos filhos, e nos deparamos com as dificuldades de fotografar uma criança! Esse post vai te trazer dicas SIMPLES para garantir boas fotos do seu filho. Vamos nessa?

  • ESCOLHA UMA BOA CÂMERA

Eu tinha uma câmera profissional, mas o carregador dela quebrou e eu nunca consegui comprar um novo, e recentemente descobri que a lente da câmera estava com fungo devido. Resultado, eu passei um bom tempo sem fazer boas fotografias da Lara e quando Alice estava perto de nascer, percebi que as fotos de celular nunca iriam suprir a minha necessidade pessoal e profissional. De forma temporária, investi em uma câmera canon powershot sx 520 SD, que custa uma média de 800 a 900 reais e é considerada uma câmera semi profissional.

cmera-canon-eos-rebel-t5-lente-18-55mm-12x-sem-juros-21010-MLB20201966498_112014-OUsei essa câmera por cinco meses, até sentir de fato a necessidade de ter uma profissional. Investi em uma T5 da Canon, que é uma câmera perfeita para não profissionais da fotografia que querem se aventurar, e sou completamente apaixonada pelo seu desempenho! Claro que existem outras melhores no mercado, mas eu não sou profissional da área. O meu objetivo é apenas fotografar lindos momentos da vida das minhas filhas com qualidade. Comprei a minha câmera por 2 mil reais, mas hoje você já encontra o mesmo modelo por 1.300 na internet, e te garanto que ela vale cada centavo que paguei! Se você está procurando uma câmera com bom custo benefício, essa a minha indicação.

MAS NÃO SE PRENDA A ISSO… 

Boas fotos vão muito além da câmera que você usa! Tenho amigas que portam câmeras mais potentes e cheias de ‘pra que isso’ e por não saberem usar nem metade do que a máquina oferece, não conseguem tirar nem as mais básicas fotografias! Então, se você não pode ou não quer investir em uma câmera, não se preocupa não. Dá sim para tirar lindas fotos usando o seu smarthphone.

  • ILUMINAÇÃO

Esqueça o flash e invista na luz natural 

Quanto mais luz natural a foto tiver, melhor será o resultado. Já notou que quando você tira uma foto com flash os olhos saem vermelhos ou o fundo escuro demais? Pronto! Eu tiro muitas fotos das meninas, já trabalhei com fotojornalismo, mas não gosto de usar flash não. Para mim, ela estraga a naturalidade de qualquer fotografia! Prefiro os horários e locais em que a luz solar (pode até ser em parceria com as luzes fluorescentes da minha casa) me permitem clicar aquele momento!

Quando a minha casa está com pouca luminosidade e as lâmpadas não dão conta de me permitir ter a iluminação que quero, desço para o parquinho e busco espaços abertos.. Eu já sei que na minha casa, o sol bate pela manhã na varanda, sala, no meu quarto e no da Lara. A tarde, o sol fica todo no quartinho de Alice! Então, quando quero uma foto legal já sei onde tirar! 😉

Os melhores horários para fotografar a luz do dia, evitando sombras e em locais abertos são: das 5h da manhã (depende da estação do ano e região) até as11h, e a tarde é das 15h até o sol se pôr. Fuja do pico do sol (meio dia), esses horários não são legais para fotos abertas, porque dão muita sombra e olhos fechados. Se a foto tiver que ser nesse horário, busque um espaço com sombra natural. 🙂

  • ESCOLHENDO O LOCAL DA FOTO E ENQUADRAMENTO

Pequenos espaços na sua casa ou fora dela

Quanto mais neutro e ‘limpo’ for o local da foto, mais linda a foto será. PAREDES BRANCAS E CLARAS, BERÇO, BANHEIROS BRANCOS OU CLAROS, BANHEIRAS BRANCAS, JARDINS E PARQUINHOS são ótimos locais para fazer uma foto linda. Vale a pena lembrar: o foco da foto é o seu filho, então fuja de muitos elementos e locais com muitas pessoas. Ou caso você tenha uma câmera profissional, foque no seu filho e desfoque a multidão de elementos que têm atrás dele.

Dicas simples e econômicas: Lençóis coloridos, acessórios de cabelo, manta, roupinhas divertidas, composição de brinquedos, quadrinhos do quarto, bichinhos de pelúcia, plaquinhas personalizadas, body com numeração de mês, fraldinha (ou calcinhas e cuequinhas) são algumas ideias que você pode colocar em prática para compor uma foto divertida sem muito custo. 

  • TIRAR FOTO TEM QUE SER DIVERTIDO

A não ser que o seu filho seja um anão, ele não vai posar para as suas fotos como você quer. Então, fotografar uma criança envolve muito mais do que apenas apertar o gatilho e clicar! Você precisa fazer que aquele momento seja divertido e engraçado para o seu filho, além de respeitar o tempo dele.

  1. respeite os horários do seu filho (mas lembre-se que dá para tirar lindas fotos deles dormindo também!)
  2. troca troca de roupa estressa qualquer criança, então tire todo dia foto. Muito melhor do que tirar milhões de fotos em apenas um dia.
  3. A rotina do bebê é um momento lúdico e lindo para se registrar. Não se prenda as fotos com fundos brancos. Enquanto o seu filho brinca em um tapete colorido com os seus brinquedos favoritos, você pode e deve fotografar o momento.
  4. Invista em ângulos diferentes: suba na cadeira, deite no chão, fique na altura do seu filho, tente enxergar o momento através de uma ótica que te leve além.
  5. Fotos não são apenas para as redes sociais, foto deve ser a eternização de um momento em família. Lá no futuro, isso é tudo que o seu filho terá para lembrar de como foi feliz quando era pequeno.
  6. Nem só de sorriso vive uma boa foto. Aqui em casa, as meninas são bem expressivas e eu quero me lembrar exatamente de cada carinha que elas fazem. Por isso, as minhas fotos favoritas são as de biquinho, chorinho, sorriso escandaloso, caretinha de medo…
  7. Tire muitas fotos em sequência. Criança fala, gesticula, abre e fecha os olhos rapidamente, além de se mover rápido também, não é? Então, eu te aconselho a tirar uma infinidade de fotos até que uma fique exatamente do jeito que você desejava.

APLICATIVOS PARA EDIÇÃO DE FOTO

Eu tiro foto na máquina profissional, quando passo para o computador faço uma breve seleção entre as fotos que podem ser usadas ou as que vão direto para o lixo, depois disso passo para o meu e-mail (a minha máquina não tem wi-fi) e a edição da foto acontece apenas no meu celular. No meu caso, as edições são apenas para ajustar iluminação ou enquadramento, mas os aplicativos de hoje em dia te possibilitam até afinar cintura!

Os dois aplicativos que eu mais uso para editar fotografias são:

O próprio Instagram – sim! você encontra no instagram MUITAS opções para edição de foto e tem um facilitador, depois de editar eu já realizo a postagem sem precisar abrir outros aplicativos.

Antes de descobrir que o próprio instagram me auxiliava nesse processo de edição, eu usava o aplicativo Snapseed. Ele é gratuito e tem para Android e Apple! Eu ainda uso ele, principalmente para as fotos que não são direcionadas para o Instagram. Além de ser simples, é eficiente e te dá várias opções de filtros.

Facetune – o queridinho das blogueiras também está na minha lista dos aplicativos de celular para edição de fotografia, mas não se espante com o que eu vou dizer: NUNCA usei e não gosto do seu resultado. Como fotografo crianças, em sua maioria das vezes, a pele não precisa de retoques, branqueamento ou suavização. Uma das coisas que eu mais gosto na fotografia é mostrar a realidade por um ângulo poético (paisagens) ou feliz. Se eu quero que a minha pele fique melhor na fotografia, eu invisto em maquiagem! Fica natural, simples e REAL.

Baixei o aplicativo há pouco tempo, por isso usei pouco e o pouco que testei não fez a minha cabeça. Mas se você quiser testar, fica a dica de um aplicativo bastante falado pelas blogueiras de moda! Ele custa 4.99U$ na loja da apple.

Bem, espero que vocês tenham gostado das dicas e coloquem em prática!

FOTOGRAFEM, FILMEM, ETERNIZEM. Isso é tudo que os nossos filhos terão no futuro!

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

ALERTA – charutinho e redinha dobram chances de morte súbita no bebê

Quando Alice tinha apenas 15 dias, me rendi a técnica do charutinho e coloquei ela para dormir no seu berço enroladinha em uma fraldinha de tecido. Até aí, estava MUITO tranquila em relação aos benefícios dessa técnica! De fato o bebê se sente confortável, como se sentia na barriga, mas o que eu esqueci de ler era que deixar o bebê dormindo sozinho enrolado no charutinho ou casulinho NÃO É RECOMENDADO, pois a técnica impossibilita que o recém nascido reaja em caso de perigo (obstruções da via respiratória). Eu estava cansada, muito cansada.

Foram 15 dias de muitas noites em claros, e assim que Alice dormiu, coloquei ela no berço e parti para a minha cama. Mas eu não me senti confortável e em segundos me levantei da cama para ver se de fato o charutinho não representava perigo para a minha bebê. Não tenho como explicar o que senti quando cheguei no berço e Alice estava ENGASGADA, e sem condições de virar ou reagir porque estava amarradinha no charutinho. Meu mundo caiu ali, naquele momento! Fiz a manobra, Alice desengasgou sem maiores problemas, mas o trauma (em mim) ficou. Por causa desse episódio eu passei noites sem dormir, até que decidi que o melhor seria levar a pequena para o meu quarto, local em que ela dormiu até os seus 4 meses de idade.

FICA O ALERTA PARA TODAS AS MÃES

Recentemente uma pesquisa realizada pela Universidade de Bristol, no Reino Unido, publicada no periódico médico Pediatrics, informou que o casulo ou charutinho AUMENTA EM 2 VEZES o risco da Síndrome de Morte Súbita Infantil (SMSI), especialmente para os bebês com mais de 6 meses.

Ainda que muitos profissionais de saúde continuem ensinando a técnica do charutinho ou casulo para pais e mães de recém-nascidos, o hábito já não é recomendado há algum tempo porque como a criança fica presa, ela tem menos chances de conseguir se mexer caso algo obstrua o nariz ou a boca durante o sono. A rede de balanço feita para colocar no berço, outro item que tem virado mania entre as famílias por prometer facilitar a hora do sono, também pode ameaçar a segurança dos bebês. Dessa forma, O CHARUTINHO E A REDE só são aconselhados em caso de monitoramento permanente!

Lembre-se: até os 2 anos de idade as crianças devem ser agasalhadas apenas com roupas, sem mantas, nem cobertores. E os recém-nascidos devem ser colocados sempre de barriga para cima!

Vamos compartilhar esse informação!
beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice