Irmãos dividindo o quarto. Sim ou não?

Irmãos dividindo o quarto. Sim ou não?

Quando decidimos liberar e esperar a chegada do segundo filho, Lara já tinha 5 anos. Desde lá, o botão vermelho de alerta acendeu: É importante zelar pelo espaço já conquistado da sua filha (o) mais velha.

Quando estávamos nos organizado, a primeira coisa que decidimos fazer foi vender o apartamento que morávamos: dois quartos e muito pouco espaço. O apê, antes tão prático para a nossa vida corrida, se transformou em um obstáculo para a chegada do nosso bebê tão sonhado. Além da nossa rotina diária, já naturalmente modificada com a chegada de um bebê, teríamos que mudanças drásticas no sono da sua companheira de quarto, vulgo irmã mais velha.

É verdade que os filhos mais velhos sentem medo de perder espaço, medo da divisão da mãe, do pai, da avó, avô, tio… Mas também é verdade que podemos fazer o que está ao nosso alcance para diminuir os impactos dessas mudanças. E foi pensando no bem estar do sono da Lara, na possibilidade de amamentar, trocar a fralda, consolar o choro sem preocupações e tantos ‘dedos’, e em manter o espaço da Lara que eu decidi que a Alice ia ter o seu próprio quartinho.

Para um bebê, o tamanho do quarto pouco importa. Já para uma mocinha de 5 anos, que sempre teve os seus brinquedos, espaço para fazer a tarefa, guarda roupa acessível e seus livrinhos à mostra, essa mudança ia ser muito impactante. É importante levar a sério os ‘medos’ que o nascimento do irmã causa no filho mais velho, principalmente quando ele tem consciência do seu vasto espaço já existente e antes dedicado unicamente para ele. Os nossos finais de semana se resumiam à Lara, gastar tempo com qualidade, muitas brincadeiras e eventos infantis. Isso tudo será sentido por ela e está sendo levado à sério por nós! Mesmo tendo me preparado demais para esse momento, sempre achamos que o nosso filho vai levar tudo numa boa e demonstrar uma maturidade adulta. Aí caímos em nós quando as frases de puro ciúmes começam a surgir! E quantas frases, quanto medo, quanta imaturidade tão infantil e natural da idade… nos damos conta que as nossas expectativas são ilusórias, que as nossas crianças merecem ter medo, questionar espaço e pedir atenção, porque cabe aos pais buscarem o equilíbrio das situações.

A minha escolha de NÃO dividir quartinho foi algo super pensado por nós dois, mas essa escolha foi nossa! Se você está em dúvidas, reflita sobre o comportamento do seu filho mais velho, pense e repense se você faz questão de ter um espaço onde poderá amamentar ou trocar a fraldinha de madrugada sem muitas preocupações, não esqueça de colocar na balança o tipo de sono que o seu filho mais velho tem, se ele acorda com qualquer barulho, preze pelo sono dele (por você e por ele, afinal se ele acordar você vai ter lidar com dois filhos precisando da mãe!) 😉

Hoje, depois de um ano de Alice, tenho ainda mais certeza de que fiz a escolha certa! Alice tem os seus horários e muitas vezes acorda de madrugada chorando ou querendo atenção. Ter o seu espaço auxilia no seu cuidado e não atrapalha a sua irmã, que vai cedinho para a escola pela manhã e nos finais de semana dorme até um pouco mais tarde! Tenho certeza de que quando a rotina de sono se assemelhar, serei a primeira a querer unir elas no mesmo espaço. 🙂

Essa é uma dúvida comum entre as mamães que estão planejando o segundinho ou estão gravidinhas.
Espero ter ajudado vocês! Para ver o quartinho fofo de Alice, clica aqui!

E por aí, tem baby dormindo com o irmãozinho?
Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

Ananda Urias
Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *