Mãe também viaja sozinha

Mãe também viaja sozinha

Eu reaprendi a tirar selfie, fiz muitas caras e bocas para o meu celular, enquanto lembro com saudades de quando tinha meus 20 anos e o meu celular ainda era rosa e tinha uma câmera de míseros megapixels. Foi. Foi a maternidade que mudou a minha vida, a minha forma de enxergar o mundo, e de olhar a mulher que existe aqui. Quantas vezes fui a um restaurante e pedi um prato pensando nas crianças? Afinal, seria inevitável dividi-lo com elas. Eu amo camarão, já a Lara prefere frango. “Vamos de frango então!”. Meu picolé, meu macarrão, meu arroz, meu eu. Toda mãe se divide por tempo indeterminado – enquanto os filhos estão ali. E eu conheço mães que querem férias, querem um tempo, um respiro, um minuto de silêncio, mas sinceramente eu desconheço mães que querem que seus filhos evaporem para sempre.
É. Eu aprendi a tirar selfie, eu aprendi a me maquiar, a fazer carão, mas acima de tudo … eu aprendi a conviver com a saudades mais doída e louca que já senti na vida. Eu tive a inenarrável experiência de enxergar a minha vida olhando de cima: como quem vê um filme, e nem sempre consegue acreditar na sorte que “teve”. Foi lindo, foi incrível, foi revelador, foi único, foi engrandecedor… mas hoje eu te digo, com toda a sinceridade do mundo: você não precisa de uma viagem com as amigas para ser mais feliz. Não precisa da viagem dos sonhos para se encontrar. Não precisa de uma taça de vinho no final da noite para ter paz… não existe regra na felicidade, você só precisa ser você para ser.
Encontre o seu caminho, mas não deixe a felicidade escapar entre os dedos. No final do dia, você é a única pessoa capaz de dar ao seu filho uma mãe feliz. ❤️ Essa responsabilidade é sua, totalmente sua, e de mais ninguém. Essa lição, eu já aprendi.
E aguardem… a viagem foi só o ponta pé inicial do #LutecomoUmaMaeMaezice 

Ananda Urias
Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


À Procura de Algo?