Eu preciso te contar: maternar dói

Eu preciso te contar: maternar dói

A maternidade é caminho sem volta. E muitas vezes, nesse caminho é preciso se perder para se achar.

Para o bem das nossas mulheres, é preciso desconstruir a imagem unicamente romântica da maternidade e falarmos sobre as dores estruturais que essa experiência devastadoramente doce pode causar em nós.

Ser mãe DÓI, dilacera, confunde, modifica… Quando nasce uma mãe, nasce dentro de nós uma pessoa capaz de fazer loucuras pelo bem estar de um filho. Somos capazes de dar a vida por outro alguém… E isso não é apenas uma prova de amor, é uma prova de que deixamos de estar em primeiro lugar nas nossas vidas. Glorioso, gigante e ao mesmo tempo… devastador.

Passamos dias para nos reconstruir, nos reencontrar em meio aos novos sentimentos. Essa confusão é sentimental, essa reconstrução é estrutural… E vai muito além da dor do parto, “cicatriz da cesárea”, peito rachado, banhos não tomados, noites em claros, refeições interrompidas, idas ao banheiro acompanhada, insegurança ou culpa.

É verdade que tudo isso te acompanhará por longos períodos, mas toda essa “dor” ainda é muito pouco perto do que você vai sentir quando perceber que algo morreu dentro de ti.

A sua rotina vai te enlouquecer e te levar ao extremo do cansaço. Você vai chorar sozinha no banheiro incontáveis vezes! E não tente contar quantas vezes você vai se perguntar se é capaz!

O seu corpo vai te envergonhar, as suas novas formas podem não te agradar, e não se espante se você não conseguir se olhar. Infelizmente, o espelho não vai te agradar!

A solidão vai te massacrar! Seu companheiro voltará para o seu trabalho, sua mãe para a sua rotina e suas amigas seguirão com as suas vidas… Você se sentirá, muitas vezes, sozinha. Alguns dias você vai implorar para ter uma conversa adulta, uma companhia para um almoço, um jantar tranquilo a dois! Mas é verdade, que esse dia pode demorar para chegar e tudo isso pode te maltratar.

Além de todos os sentimentos contraditórios que maltratam uma recém mãe, ainda existe uma cobrança dolorosa de que devemos estar alegres e completas. Reclamar, chorar, questionar… Não estão nas listas de possibilidades de uma mãe que acabou de descobrir as dores e encantos maternos!

Talvez, ninguém tenha te falado ou você não tenha sequer acreditado, mas eu vou te contar: MATERNAR DÓI. Ao mesmo tempo que dói, te completa. Ao mesmo tempo que machuca, te regenera. Ao mesmo tempo que maltrata, te realiza.

Só a maternidade é capaz de transformar o amor, em amor que ultrapassa qualquer dor. Aos poucos você vai descobrir que essa fase passará e tantas outras vão chegar… Mas você vai perceber, que mesmo em meio a dor, você nunca desistirá de AMAR. Que louca e doce aventura é o MATERNAR.

Texto: Ananda Urias

Foto: Camila Ávila Fotografia

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

Ananda Urias
Partilhar:

3 Comentários

  1. Fabiana Martins
    18 de Maio de 2016 / 10:36

    Lindo texto. Super me identifico é desse jeitinho a arte de maternar.

  2. Eliane
    19 de Maio de 2016 / 09:59

    Lindo texto e relata verdadeiramente o que passamos.

  3. Deise Pinho
    20 de Maio de 2016 / 08:32

    Texto emocionante, cheio de verdade e sentimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *