Minha realidade com a amamentação – pedindo ajuda

Minha realidade com a amamentação – pedindo ajuda

Leia o primeiro post da série: Minha realidade com a amamentação Expectativa x realidade. 

Pedindo ajuda

Estava tudo desandando quando compreendi que se quisesse mesmo manter a amamentação, eu precisava urgente de ajuda. Eu não queria sair de casa com Alice tão pequena… e lembrei que há um tempo atrás tinha recebido uma mensagem despretensiosa de uma enfermeira de aleitamento materno na internet. Eu precisava de ajuda pra “ontem”, e não podia esperar muito mais. Enquanto eu chorava com Alice no seio, Victor ligou para a enfermeira e implorou, diante do meu desespero, por um encaixe na agenda da enfermeira.

Algumas horas depois, chegou a minha anja da guarda: Ceça, é assim que ela se chamava (e ainda se chama). Depois de alguns minutos de conversa, eu implorei para que ela me ajudasse a cumprir o meu plano. Nessa altura do campeonato, estava vivendo um verdadeiro drama interno e físico. Estava a beira de um colapso nervoso e emocional.

A partir daí, algumas coisas começaram a fazer sentido:

A fissura se transformou em fungo. O fungo não medicado impossibilitava a cura da fissura. A fissura não tratada fazia o meu seio sangrar… e esse ciclo vicioso, enfim, estava perto de acabar!

Enfim estava medicada e precisava de alguns dias para me curar. O remédio era passado religiosamente três vezes ao dia. O seio ficava exposto ao sol o máximo possível. Abolimos a pomada de lanolina, o absorvente de seio de algodão e aos poucos esse problema foi sendo solucionado. Acreditei que enfim, o meu martírio chegaria ao fim.

Depois de viver esses primeiros 10 dias de angustia, aprendi várias lições, mas também me arrependi por não ter buscado uma equipe especializada em amamentação quando ainda estava grávida. Então, termino o post de hoje com um alerta para as gravidinhas de plantão: informações especializadas NUNCA são demais. Um bom curso de gestante, vai fazer a diferença nos seus primeiros dias com a maternidade. Não importa se você já tem um filho, se você já amamentou… cada maternidade é única, cada filho é único e consecutivamente, cada amamentação será única também. Estar seguro e se sentir verdadeiro preparado para as surpresas que aparecem no nosso caminho, vão te fazer encarar as dificuldades com leveza, e isso pode amenizar qualquer tristeza.

Continua no próximo post.

Beijos,
Nanda
Ananda@maezice.com.br
Instagram e Snapchat: Maezice
Fan Page: Mãezice

Ananda Urias
Partilhar:

2 Comentários

  1. Josi
    1 de Fevereiro de 2016 / 08:42

    Valeu pela dica!!
    Desde á vou começar a procurar mais informações! ;*

  2. 3 de Fevereiro de 2016 / 10:32

    Achei muitos cursos que me ofertaram desnecessários, só me arrependi mesmo que não ter ido ao de amamentação, porque depois que estamos com neném em casa já nascido/a é muitooooooooo complicado sair.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *