O lado B do amor – ser mãe também dói

O lado B do amor – ser mãe também dói

Uma recém mãe precisa de INCENTIVO, APOIO, CONFORTO, palavras bonitas, carinho e afago. A realidade é dura, nem sempre a desejada, mas as dificuldades fazem parte de toda JORNADA.

O meu texto é em homenagem as recém mamães que precisam de uma palavra de carinho. Sintam-se abraçadas!

O lado B do Amor

Enquanto a tua espera, era só uma espera o meu coração se agigantava. Nunca me imaginei tão completa, tão apaixonada e ao mesmo tempo tão perdida, insegura, temerosa.

Preparei com muito esmero a casa inteira para te receber. Seu quarto ganhou forma, seu berço já estava pronto, tudo estava no lugar dos meus sonhos apenas esperando por você.

Eu estava pronta para te receber, mas não tinha noção dos sentimentos que viriam junto com você. Só me falaram sobre amor, daqueles que avassala e tira tudo do lugar. Não sei se por vergonha, por medo, por discrição… Esqueceram de contar que eu também iria sofrer e até chorar.

Olho para o berço e lá está você. Tão pequeno e indefeso! As lágrimas rolam pelo rosto de par em par… Será que eu sou capaz de fazer tudo que sonhei fazer por você?

O seu choro invade a casa e penetra em meu coração. Não me leve a mal se titubeei, o cansaço das noites em claro me consome! Eu merecia uma noite de sono, um café reforçado, uma massagem nos pés, um abraço carinhoso. Queria escutar que tudo isso vai passar, mas olho para o lado e não acredito que outras pessoas sentiram a mesma angústia que sinto nesse momento! Eu queria um afago… Mas me encontro na solidão da utópica perfeição.

Enquanto vivo a minha solidão, tento me encontrar nesse novo universo. Sinto falta de mim, do meu amor próprio, dos meus banhos tranquilos, dos meus dias planejados. E me sinto ainda pior por me sentir assim! Não é falta de amor, meu filho. Eu te prometo que amor nunca irá faltar… Mas preciso dizer a verdade, não posso me calar: os primeiros dias ao seu lado foram difíceis de superar.

Sofri com a solidão, com a insegurança, com o medo do futuro tão incerto ao seu lado… Mas encontrei ao seu lado, uma força que me sustentou e me levou a diante.

Chorei, sofri, lamentei, mas também sorri, conquistei, aprendi e amei. Amei. Amei. Amei.. Sem limites e sem pudor. Porque é de fato esse amor, que me transportou para onde estou!

Obrigada, filho. Por me amar mesmo assim! Não sou perfeita e te aconselho a não tentar ser. Seja sincero e descobrirás que quando encaramos a dor, conquistamos o mais lindo e verdadeiro amor!

Texto: Ananda Urias

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice
Grupo no facebook Mãezice

Ananda Urias
Partilhar:

1 Comment

  1. 28 de Abril de 2016 / 00:16

    Lembrei o primeiro mês do meu filho. Quantas vezes chorei por me achar uma péssima mãe. Acreditei algumas vezes que meu filho merecia alguém melhor. Menos chorona, fraca, ranzinza.
    Mas passa, e com os dias chegam a intimidade, o reconhecimento, a rotina. E a gente ainda chora, tem alguns receios, mas estamos cada vez mais em poderá das, mais seguras e o amor segue o fluxo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *