Festa infantil

Tudo que você precisa saber sobre enxoval

TEXTOS EMOCIONANTES SOBRE MATERNIDADE

Mamãe precisa de férias.

Filho, descobrir o mundo ao seu lado é maravilhoso, mas hoje acordei com uma vontade incrível de viver algo novo, diferente e libertador. Depois de várias noites seguidas entre idas e vindas do seu quarto para o meu, contabilizei algumas poucas horas de sono e uma vontade imensa de me redescobrir. Talvez, eu esteja em crise, é verdade, mas eu sei que lá no fundo estou precisando mesmo é de um tempo para mim.

Depois que eu virei mãe, me deparei com muita gente dizendo que eu não preciso mais dormir, não preciso mais saborear as minhas refeições, não preciso mais ler um livro, ir ao cinema, me maquiar… É verdade que as prioridades mudam, mas as singela necessidade de me auto satisfazer ainda vive por aqui. Claro que não posso mais ser a mesma o tempo todo, até seria impossível desejar tamanha besteira! Você deixou o meu mundo de cabeça para baixo, mas também me deu um equilíbrio que, na maioria dos dias, me sustenta. Nas horas, dias ou meses que me sinto errante, eu só queria gritar para o mundo que além de mãe também sou gente.

Mãe também precisa de um café quentinho, um vinho a dois, uma cerveja entre amigos, uma leitura despretensiosa que será interrompida fatalmente com um cochilo inevitável causado por tanto cansaço acumulado. Mãe também precisa namorar, e como precisa! Tenho certeza de que sentirei saudades quando estiver vendo crianças saltitando a minha frente, mas vai ser incrível lembrar de você de uma forma diferente.

Não me leve a mal, filhos, mas eu estou precisando de férias. Férias para recarregar as energias e relembrar como é bom ser exatamente a pessoa que eu era. Vou sem medo, porque vou por ter a certeza de que estarás de braços abertos me esperando retornar mais leve, mais feliz e com ainda mais amor para dar.

Mamãe precisa de férias e, por aqui, eu já sinto até o cheirinho do mar…

Texto: Ananda Urias

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

 

Receita cuscuz para bebê e criança

Quem me segue nas redes sociais, já deve ter visto fotos de Alice comendo cuscuz com o maior gosto do mundo! Quando ela era bebê, ela não gostava nem um pouco de cuscuz. Certa vez, chegou até a jogar o pratinho todo no chão.. rs! Mas agora, depois que completou 1 ano, esse alimento se tornou um curinga aqui em casa, perfeito para aqueles dias em que ela está dando um trabalhão para comer.

No Nordeste, o cuscuz de milho faz parte da nossa rotina diária de alimentação. Aqui, esse alimento é oferecido com inúmeras combinações: ovo, carne, frango, banana cozida, queijo coalho, verdurinhas, puro…! Muitas mães me perguntaram como eu faço o cuscuz de Alice, então decidi dividir com vocês a receita super simples e prática. Vamos nessa?

O que você precisa:

  • 2 xícaras de cuscuz (uso o flocão da marca Vitamilho)
  • 1 xícara de água filatrada
  • sal a gosto (só use sal a partir de 1 ano e coloque pouco, hein?)

Coloca em uma cuscuzeira (ou em uma panela de vapor) por cerca de 10 minutos e pronto! O seu cuscuz está pronto para ser servido! Quando ofereço a Alice, costumo deixar ele bem soltinho (solto o cuscuz com o garfo) e misturo com um ovo de mexido. Ela ama e come super bem!

Gostaram da dica?

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice

Grupo no facebook Mãezice

10 coisas que nunca deveriam ser ditas para uma mãe que ‘trabalha fora’

Você é apaixonada pela sua profissão ou simplesmente não pode (ou não quer) abrir mão do seu salário, seja ele apenas para você ou para auxiliar nos custos da casa? Não importa, a decisão de trabalhar fora é sua e deve ser respeitada! A grande verdade é que a sociedade NUNCA está satisfeita com as nossas escolhas, e você vai escutar (em algum momento) comentários desnecessários e que poderão até te magoar de verdade. Sendo assim, para te ajudar, resolvi fazer um post com 10 COISAS QUE NUNCA DEVERIAM SER DITAS PARA UMA MÃE QUE TRABALHA FORA. Tenho certeza de que você vai gostar.

1- “Eu nunca deixaria meus filhos serem criados por outra pessoa”

Mães que trabalham fora de casa, de forma tradicional, PRECISAM contar com a AJUDA de uma escolinha ou avó ou babá, mas isso NÃO significa que existe outra pessoa criando o nosso filho. Só uma mãe sabe que mesmo fora de casa, seja por necessidade ou escolha, estamos sempre perto.

2 – “Nossa, não é difícil passar o dia inteiro longe dos seus filhos” 

É difícil sim! Mas a gente não precisa de ninguém lembrando o tempo inteiro que essa é uma escolha difícil de se fazer! Basta por si só a saudades e a própria culpa (que não deveria existir!) que nos impomos por não estarmos ao lado do nosso filho em tantas descobertas. Então, se não tem nada de bom pra falar… que tal se calar?

3- “Deve ser bom passar o dia todo fora” (quando bom significa fácil)

Não podemos negar que almoçar e ir ao banheiro sem companhia é agradável (e a mãe que disser ao contrário tá mentindo!), mas também é difícil perder momentos dos nossos filhos que muitas vezes são as suas primeiras descobertas. Na época da minha primeira filha, eu admito que esse era a única coisa que me deixava triste, pois eu amava o meu trabalho e amo me sentir intelectualmente produtiva.

4- “Você deve realmente amar o seu trabalho”

Não podemos amar o nosso trabalho? Parece que quando viramos mãe, nosso direito de amar se restringe ao nosso filho. E olha, não é bem assim.. Mãe tem o direito de amar o seu trabalho, se sentir produtiva, amar dormir (mesmo que não o faça com a frequência que gostaria), amar ir ao salão, a acadêmia, sair com o companheiro ou sair para paquerar, SER MULHER… além de ser mãe.

5- “Eu não sei como você consegue”

Não somos super heroínas e não precisamos ser, essa é a ÚNICA VERDADE ABSOLUTA DA MATERNIDADE.  Vamos errar sim! Vamos acertar também. Sabe como eu conseguia sair de casa todo para trabalhar? Sendo feliz com aquilo que eu fazia, sendo feliz com o dinheiro no bolso para suprir as necessidades da minha filha, sendo feliz com o amor que eu recebia e dava quando estávamos juntas, sendo integralmente presente quando eram os nossos momentos. Sendo feliz, fazia a minha filha feliz. Simples assim!

6 – Se você cortar algumas despesas, vai conseguir ficar em casa com os seus filhos!

Pode até ser, mas quem disse que eu quero cortar despesas? quem disse que eu quero ficar em casa? quem disse que eu não quero ir pro meu trabalho e cumprir as minhas funções profissionais? Essa escolha é pessoal e cabe apenas a mãe (e a sua família). De resto, o silêncio é ouro.

7 – Você poderia começar a fazer scrapbook de casa…

Mas, quem disse mesmo que eu queria ficar em casa?

8 – Quando estiver em casa, dê bastante atenção para eles!

Esse era um dos ‘conselhos’ que mais me irritavam! Nenhuma mãe precisa desse conselho, te garanto. Ela espera ansiosa pela hora de voltar para casa para poder abraçar o seu filho, descobrir as novidades do dia, botar para dormir agarradinho…

9 – “Você não precisa de uma promoção no trabalho, você tem filhos, né?”

TODA mãe no mercado de trabalho sofre algum tipo de preconceito por ser mãe, como se isso a impossibilitasse de ser uma boa funcionária, gestora, diretora… Mas as mulheres adquirem qualidades incríveis depois que são mãe!  Elas são pacientes, persistentes, sabem trabalhar da melhor maneira ainda que no caos, sabem fazer mil coisas ao mesmo tempo, mas ainda são subestimadas, sofrem preconceito e perdem espaço no mercado de trabalho por causa dos seus filhos.

Cabe a mulher decidir se está na hora de receber uma promoção no trabalho, aumentar as suas funções e se dedicar ainda mais a uma nova equipe. Cabe apenas a ela, e a mais ninguém!

10 – Você tem algum familiar ou amigo para cuidar dos seus filhos em caso de doença? 

Em entrevista de trabalho, quem nunca teve que responder a essa pergunta? É triste ver que o mercado de trabalho ainda não sabe acolher as mães. Elas são pacientes, persistentes, sabem trabalhar da melhor maneira ainda que no caos, sabem fazer mil coisas ao mesmo tempo, mas ainda são subestimadas, sofrem preconceito e perdem espaço no mercado de trabalho por causa dos seus filhos. Algum dia, talvez, as empresas vão perceber que liberar a sua funcionária no dia que o seu filho está doente, para levar ao médico ou para assistir a apresentação de dia das mães na escolinha, só a transforma em funcionária ainda mais motivada e fiel.

Maternidade não é doença e não incapacita uma mãe a ser profissional e mulher. Tá passando da hora de vermos as empresas se rendendo aos encantos e qualidades de uma mãe profissional! Elas tem muito para dar, não tenho dúvidas disso.

Leia também: 10 coisas que nunca deveriam ser ditas para uma mãe em período integral 

Quem concorda?

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Tri For Baby – quadrinhos e acessórios para seu bebê

A TriFor Baby não é apenas uma loja de enxoval moderninhos e lindos para bebê. A empresa, que nasceu em 2014, é filha de três mães super queridas (a Lili, Fernanda e Luciane) e chegou para agradar em cheio as mães mais exigentes e que buscam um produto diferenciado. Quem já me segue há um tempo, sabe que a TriFor Baby faz parte da nossa história! Alice saiu da maternidade vestindo uma saída de maternidade assinada pela empresa e no seu quartinho, um quadrinho com informações sobre o seu nascimento enfeita a parede do seu berço. Sou suspeita para falar, mas amo tudo que as meninas se propõem a fazer, porque tudo é realizado com muito amor e zelo de mãe.

A grande novidade da TriFor Baby é que a partir desse mês, você pode encontrar os quadrinhos e acessórios mais divertidos para o seu bebê! A loja agora conta com quadros personalizados com informações do nascimento, primeiro aniversário, primeiro ano escolar e decorativos, além dos quadrinhos de maternidade!

Vou mostrar só um pouquinho das lindezas que encontramos por lá, vem com a gente!

image

image

image

Se você, assim como eu, também se apaixonou pelos produtos modernos e criativos da TriFor Baby te convido a conhecer a LOJA ONLINE, instagram (@triforbaby) e fanpage da marca. Dessa forma, você vai acompanhar de pertinhos as novidades que esse trio querido está sempre trazendo para deixar a nossa maternidade ainda mais linda e colorida!

Tudo lindo, não é?

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Receita bolo de banana e aveia (com açúcar)

Ontem, testei mais uma receita de bolo integral prática e deliciosa aqui em casa. Esse, sem dúvidas, desbancou todos os bolos que fiz até hoje! É de comer rezando e segue a mesma linha dos outros bolos que posto por aqui: bate tudo no liquidificador e está pronto. Sem dificuldades e com muito sabor.

Vamos à receita?
Ingredientes:

  • 250 g de aveia fina (1 caixinha) – apesar dele pedir a fina, eu usei aveia em flocos e deu super certo.
  • 1 colher (sopa) fermento
  • 4 ovos
  • 1/2 xícara de óleo
  • 4 bananas
  • 1 1/2 xícaras de açúcar demerara ou mascavo

Opcionais:

  • Canela – Em bolo de banana eu sempre uso, fica uma delícia!
  • Uva passas
  • castanha do pará ou caju picadas

MODO DE PREPARO:

  1. Bata no liquidificador os 4 ovos, 1/2 xícara de óleo, 4 bananas, 1 1/2 xícara de açúcar
  2. Adicione a aveia, o fermento e os opcionais e bate até ficar uniforme
  3. Leve para assar em forma untada com óleo e aveia (é assim que eu faço!), em forno médio, pré-aquecido, por cerca de 40 minutos, ou até dourar
  4. Pronto! Agora é só aproveitar.

Lembrando que esse bolo de banana leva açúcar e não é recomendado para bebês de 6 a 12 meses. Aqui em casa, liberei o açúcar (em pouquíssimas quantidades) quando Alice completou 1 ano… mas ainda regulo a ingestão dele, dou preferência à produtos integrais, sem açúcar ou frutas para lanche. De qualquer forma, é sempre legal opções diferentes para incrementar o lanche da criança ou sair da mesmice! Eu costumo prezar pelo equilíbrio, acima de tudo. 🙂

Mas se o seu filho ainda não come açúcar, temos uma receita de bolo de banana fácil e perfeita para ele. É só clicar aqui e se aventurar. 

Espero que vocês tenham gostado!

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Maternidade ideal é aquela que te faz feliz

Não adianta ter comida fresca e orgânica todos os dias, se no tempero vai stress. Brinquedo de madeira, BLW, parto natural, desmame natural, homeschooling, waldorf, açúcar nem pensar!, fralda de pano, disciplina positiva, criação com apego, colo, colo, colo, tanto colo até doer, que dói as costas e a escolha que não sabe se fez.

Não existe pacote completo, certo é o que conversa com cada realidade. Filhos não querem utopia parental, mas sim presença sincera, troca leve que flutua pela roupa suja acumulada, marmita congelada, lambida no chão. Não existe perfeição.

Deixa a bagunça pra lá, ela pode esperar. Que aumente, implore, mas hoje eu não vou me importar. Quero olho no olho, paz que floreia a casa toda. Vamos em etapas, o quanto der, o que eu quiser. Pode não ser o melhor, mas é, porque melhor é estar bem com você.

Liberdade, liberdade! Maternidade ideal? Aquela que te deixa leve e feliz.

Texto: Marcela Feriani

Lindo, né? Eu adorei e tenho certeza de que vocês vão amar. 🙂

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

É difícil ser uma boa mãe quando se está cansada

É difícil ser uma boa mãe quando a paciência falta.
É difícil ser uma boa mãe quando se está adoentada, com fome, com sono, com problemas que nos tiram o juízo, com questionamentos que nos fazem perder a paz.

É impossível ser uma boa mãe sempre.

É difícil ser uma boa mãe quando tudo que te dizem traz culpa e dor,  quando falta empatia, afago e carinho. Quando tudo que a gente mais precisava era de um café para esquentar o coração e um pedaço de bolo para adoçar o dia.

Não sou uma boa mãe todo dia, e tudo bem por isso. Eu sofro, eu choro, me despedaço… Mas lá no fundo, eu sei que eu fiz o meu possível, dei o meu melhor.

Alguns dias são mais duros do que outros, é verdade.

Hoje vou dormir perguntando “onde foi que eu errei”, mas sei que ao acordar e me deparar com dois sorrisos pequenos vou me convencer que está tudo bem.

E está tudo bem se eu não sou perfeita. Está tudo bem!

Texto: Ananda Urias

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

Moda sustentável – Loja online Não Cabe Mais

Se tem uma coisa que mãe sabe de cor é que filho perde roupa rápido demais! Pensando em tornar a nossa vida mais econômica, sustentável e viável foi que a Camila e a Aninha, desenvolveram a loja online NÃO CABE MAIS. Lá você consegue realizar compras de roupas nova e semi novas, nacionais e importadas, com preços acessível e sem ter medo da qualidade do produto!

A equipe do site Não Cabe Mais realiza uma curadoria criteriosa das peças e no site você encontra roupas, acessórios, sapatos e peças de enxoval para meninas e meninos. Você ainda pode pagar as suas compras em até 3 x sem juros no cartão de crédito e o melhor, a loja ainda conta com uma sessão fixa de peças que estão em promoção. 🙂 Só dei notícias boas, né? Mas tudo isso vai melhorar, porque as duas vezes que realizei compras através da loja, recebi rapidinho as minhas peças em perfeito estado e com um preço bem abaixo da peça comprada de primeira mão na loja. Só vi vantagens e adorei a ideia de estimularmos um consumo consciente entre as mamães, sem perder a qualidade e o estilo!

Vamos dar uma olhadinha nos produtos que estão disponíveis, no momento, no site da loja?
maezice_nao_cabe_mais1

maezice_nao_cabe_mais2

maezice_nao_cabe_mais3

Tudo lindo, não é? 😀 Eu sou completamente fã da loja Não Cabe Mais e por isso, tenho o maior orgulho em ter eles como parceiro do blog!
Então, não deixem de conhecer o site (www.naocabemais.com/), e as redes sociais (Instagram @naocabemais e fanpage, hein? 🙂 Tenho certeza de que vocês vão amar.

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

 

Ser mãe solo é f.o.d.a

Ser mãe solo é foda. Me perdoem o palavrão, mas não existe outra palavra que possa expressar genuinamente a carga dessa missão! F-o-d-a.

Eu não aguento mais escutar que mãe solo é heroína, guerreira, mulher de fibra, corajosa… super heróis são auto suficientes, salvam o mundo, encontram solução para todos os problemas. E mãe solo… bem… ela tá cansada, chora escondida, queria mudar o rumo da história, se sente impotente, muitas vezes perdida, injustiçada… e por aí vai.

O texto abaixo não foi escrito por mim, até porque minha história não é bem assim. Mas essa é a história de muitas mães solo, e tocou fundo aqui. Por isso, quero compartilhar com vocês! Se você é mãe solteira, leia. Se não é, leia também. Talvez da próxima vez que a sua amiga mãe solo trocar de namorado, você compreenda um pouco melhor o que ela vive… Vamos gerar empatia.

“São quase 15h. Meu filho está no meu sofá vendo desenho e me pedindo almoço que eu não fiz.
Hoje é o final de semana do pai, que começou a contar das 9h de sábado e vai até as 18h de domingo. O pai chegou cedo, milagrosamente, mas por volta do meio dia foi cortar o cabelo e não voltou ainda. Meu filho tá pulando no sofá e eu tô cansada de ser mãe. Eu queria ser pai.
Semana passada era o final de semana dele, mas fiquei sabendo na quinta que ele ia pra África, olha só que legal, mais uma viagem internacional, e eu nem passaporte tenho. Claro que eu fico com meu filho e desmarco meu rolê com meu namorado, minha foda atrasada em uma semana a mais, uma a menos, que diferença faz? Eu sou mãe, né não?
Ele tem pós na USP, mestrado na UFMG, fala um inglês fluente com certeza. Eu não consigo nem frequentar meu cursinho todos os dias da semana. Saio todo dia na penultima aula pra pegar meu filho na escola particular que ele paga. Bom pai, paga pensão alta, tenho que valorizar. Né, não?
Ele nunca namorou depois que nos divorciamos, não precisa assumir ninguém, a vida sexual dele é livre. O filho nunca fez ele desmarcar um compromisso de sexo casual, nunca teve uma febre e ele precisou largar o pernoite pra ir pro P.S.
Já eu, já eu, sempre de namoro em namoro, sempre morando junto, sempre transando no chuveiro, senão eu não transo. Só posso gozar depois que o filho dormir, isso se eu tiver disposição.
Foi pra França, trouxe a Torre Eiffel: bom pai.
Foi pra Maputo, atrasou a visitação mais um final de semana, trouxe uma girafa: bom pai.
Foi pra Recife, trouxe um lampeão: bom pai.
Paga pensão descontada na folha: bom pai.
Nunca ficou 15 dias seguidos com o filho de 6 anos: bom pai, estava trabalhando para pagar pensão senão vai preso.
Mãe mora junto com o primeiro namorado pra dividir conta e poder foder, porque mãe também fode: puta.
Mãe não tem formação universitária: vive de pensão. é puta.
Mãe termina com o primeiro namorado: não sabe formar família. é puta.
Mãe fica desempregada e usa parte da pensão pra pagar despesas: vive do dinheiro do ex, é puta.
Mãe ajunta com o segundo namorado pra dividir aluguel e conseguir foder no chuveiro: é puta, trazendo outro macho pra dentro de casa.
Mãe pensa em sumicído (sumir ou suicídio-algo que não magoe o filho: ah, não tem essa opção)
Foda-se a mãe egoísta que quer desistir.
Vai ter que aguentar a pressão pra não desgraçar a vida do filho. Se vira, mãe.
Mãe tá esgotada. Mãe não fode. Mãe não pode. Mãe não presta.
Mãe é puta. Bom é o pai.”

L.G.

Texto anônimo, via fan page Cadê Você? 

Foto: Rita Pinheiro Braga

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

 

Receita Sopinha de abóbora

Oba! Depois de um período de férias, estamos de volta! 🙂 E nada melhor do que começar com uma receitinha fácil, saudável e deliciosa, né? Eu encontrei essa receita em um site da internet e como Alice ama abóbora, decidi testar. Essa é a típica receita para dias corridos, mas que tem uma cara de consomê! (dando um ar gourmetizado a coisa!).

Então, vamos a receita?

  • Em uma panela de pressão coloque os pedaços de abóbora, os 2 litros de água e o caldo de legumes. Após levantar fervura (começar apitar) abaixe o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos.
  • Após cozinhar, desligue, tire a pressão da panela, abra e com o auxílio de uma escumadeira aperte grosseiramente os pedaços de abóbora que ficaram  inteiros.
  • Ligue novamente o fogo e quando levantar fervura acrescente aos poucos a aveia em flocos finos até dar o ponto de caldo. A consistência pode ser mais grossinha ou mais ralinha, você escolhe.
  • Por último e não menos importante, tempere. Se for para o seu bebê não precisa adicionar sal, mas vale incrementar com uma pitadinha de alho e cebola refogadas no azeite ou óleo (de sua preferência. Aqui em casa eu não uso óleo de coco não!)

E tcharaaaaaaammm.. agora é só aproveitar essa delícia que é perfeita para a família inteira!

Espero que vocês gostem!

Beijos,

nanda Urias
ananda@maezice.com.br
Instagram e snapchat: maezice
Fan Page: Fb.com/maezice
Youtube.com/maeziceblog
Grupo no Facebook Mãezice

10 coisas que nunca deveriam ser ditas para uma mãe em tempo integral

Só quem é mãe em tempo integral consegue compreender a real correria do nosso dia a dia! Alguns dias são mais tranquilos, é verdade. Mas quando o bebê não cochila durante o dia, as cólicas não tem fim, os picos de crescimento se fazem presente, até as tarefas mais simples e corriqueiras, como ir ao banheiro e comer um lanche, se torna uma grande missão. Atender telefone e bater papo então, são coisas que estão fora de cogitação!

Mas a verdade é que, na maioria das vezes, quem não vive a realidade do ‘mãe em período integral’ não consegue entender a dinâmica do nosso dia a dia. Para ajudar aos desavisados, preparei um post com 10 COISAS (frases e perguntas) que nunca deveriam ser ditas para uma mãe em tempo integral! Vai que esse post te ajuda a fazer aquele parente querido compreender que a vida não é tão fácil assim…?!

1 – O QUE VOCÊ FAZ O DIA TODO? 

Conciliar casa (mesmo que você não cuide sozinha dela), filho e vida não é uma missão das mais simples. Tem dia que o bebê tira longos cochilos durante a manhã, mas também existem aqueles dias em que o chão parece que tem prego e o berço formiga, e o colo da mamãe é a única solução. Entre as MILHÕES de coisas que uma mãe em tempo integral faz durante todo o dia estão: ninar, acalentar, cuidar, higienizar, alimentar… repetidas vezes, várias vezes por dia. Toda mãe em tempo integral já, pelo menos uma vez, almoçou em pé na cozinha com o bebê no colo, foi ao banheiro com o bebê nos braços e levou o bebê na cadeirinha para acompanhar em um rápido banho de ‘gato’. Agora que você já tem a resposta para a sua pergunta, que tal compreender – de uma vez por todas, que os seriados e novelas passam longe da nossa rotina?!

2 – FICAR EM CASA O DIA TODO DEVE SER MUITO LEGAL (quando legal significa fácil)

Quem é mãe em tempo integral escuta muitas frases como essa, afinal passar o dia inteiro em casa cuidando das crias é muito fácil #sqnmesmo hahaha Não há nada de fácil na nossa missão, hein? É difícil não ganhar dinheiro, é difícil abdicar da vida social que o mercado de trabalho nos proporciona, é difícil não ter hora para almoçar ou ir ao banheiro. Mas mesmo sendo difícil, quem escolheu (teve a chance, oportunidade e sorte) ser mãe em tempo integral sabe que todo o esforço vale a pena.

3 – O QUE VOCÊ FAZIA QUANDO TRABALHAVA? 

Nunca trabalhei tanto em minha vida como nos últimos anos, em que decidi ser mãe em tempo integral. Nunca mesmo! Meu trabalho não tem hora para começar (as vezes a bebê acorda de madrugada e estou à sua disposição, mesmo com sono!), nem hora para terminar. Não tenho hora de almoço, de descanso, e nem minutos para responder e-mails, mensagens no celular e fazer aquela ligação importante durante o dia. Quem foi que disse que eu não trabalho aí mesmo?

4- QUEM PAGA AS SUAS CONTAS? 

Primeiramente, esse assunto só dirá respeito a qualquer pessoa fora do círculo familiar, se a mesma se propor a realizar os pagamentos das minhas contas. Caso o contrário, é de extrema deselegância questionar a qualquer pessoa (seja ela mãe ou não) sobre as suas condições financeiras! Mas já que você perguntou… Quando uma mãe tem a possibilidade de escolher ficar em casa cuidando do filho, ela conta com uma rede de suporte financeiro, seja essa rede o marido, a mãe, uma tia ou todos juntos, unidos em prol de um único objetivo.

Essa, sem dúvidas, é a parte mais delicada do ‘ser mãe em tempo integral’. Então, se você não quiser de fato ajudar, não questione! Mas já que estamos falando sobre dinheiro, sempre que quiser presentear o filho de uma mãe em tempo integral, mande uma mensagem perguntando se a criança está precisando de algo e seja objetiva, dessa forma você será uma boa/bom amigo.

5 – QUANDO VOCÊ VAI VOLTAR A TRABALHAR? 

Esse dia pode até chegar, mas não serão os seus questionamentos que impulsionarão uma mãe em tempo integral de volta para o mercado. Escolher a época em que retoma para o mercado, é tão difícil quanto sair do mesmo. Todas as fases geram medo e insegurança na mulher, mas que serão resolvidas apenas com a ajuda do seu círculo familiar.

Não adianta questionar, pressionar e se meter, esse dia pode ou não chegar. Não depende de você!

6 – VOCÊ PASSA O DIA INTEIRO EM CASA E NEM PRA ME LIGAR! 

A maternidade em tempo integral é solitária e dolorosa. Acredite! Nem sempre é fácil ficar sem contato com as amigas (que continuam com corpos intactos, almoços de trabalho, roupas da moda, viagens de final de semana…), com um mundo que vá além de fraldas, peito, chupeta, mamadeira, introdução alimentar, coco ou peso. Alguns dias, a saudades e a necessidade de falar com alguém que responda em palavras aos nossos estímulos vai ser tão grande que deixamos até de almoçar para conversar ao telefone por míseros minutos, é verdade. Mas na maioria das vezes, é mais fácil a gente ler a mensagem e esquecer de responder, a gente receber o telefonema e não poder atender….

7 – VOCÊ NÃO TRABALHA, ENTÃO VOCÊ NÃO VAI ENTENDER

O Brasil está passando por uma super crise econômica e tem muita gente com medo da demissão, que anda se espalhando pelos quatro cantos do país, não é? Então, ouse tentar contestar um pensamento sobre esse período sórdido que você logo escutará: você não entende, você nem trabalha…

O que as pessoas não sabem é que, de verdade, a maternidade em tempo integral não maculou os nossos pensamentos críticos e não impossibilitou a nossa inteligencia de funcionar. Ou seja, estar trabalhando em casa não me incapacita de ter opinião própria. #ficaadica

8 – EU NÃO CONSEGUIRIA FICAR EM CASA O DIA INTEIRO COM OS MEUS FILHOS 

Realmente, essa não é uma missão das mas fáceis mesmo não. Ficar o dia inteiro com um filho, as vezes, dá um certo desespero e cansaço extremo, mas não gosto quando me olham como se eu estivesse doida e me dizem “eu não conseguiria ficar no seu lugar”. Eu não estou realizando nenhuma pesquisa mirabolante sobre cura de doenças raras. Não! Eu estou apenas, simplesmente, cuidando dos meus filhos e sendo feliz, apesar dos pesares.

9 – SEU MARIDO TE AJUDA COM AS TAREFAS DA CASA? 

Estar em casa o dia inteiro faz com que as pessoas pensem que você virou faxineira, cozinheira e arrumadeira para o seu próprio marido. Claro que existem mães em tempo integral que são sobrecarregadas e assumem de forma solitária as tarefas do lar e dos filhos. Não julgo quem vive essa condição e consegue ser feliz dessa forma! Mas te garanto que ter no marido ou companheiro, um parceiro na divisão das tarefas e cuidados é um facilitador de vida, aliviando e engrandecendo a nossa missão.

10 – NOSSA! COMO VOCÊ É CORAJOSA. (quando corajosa significa doida)

Essa, sem dúvidas, é uma das frases que mais escuto. Antes de ter filho, eu acreditava que ser mãe em período integral era um absurdo! Como uma mulher que lutou para estudar, conquistou espaço no mercado do trabalho, lutou tanto pela igualdade de gênero, larga tudo para ficar em casa e cuidar dos filhos? Pois é, eu já pensei assim. Até que fui mãe e paguei a língua. Eu só consegui descobrir que ser mãe em tempo integral não era loucura, quando minha filha mais velha tinha 5 meses e eu saí para trabalhar. Ela teve febre e eu sofri, mas segui em frente porque na época não tinha o poder de escolher outra realidade. Sofremos juntas e ali eu decidi, com ônus e bônus, que caso viesse a ter outro filho eu queria fazer diferente. Ia pausar SIM a minha carreira para cuidar de quem mais depende e precisa de mim.

Uma mãe em tempo integral não é louca, nem é apenas corajosa. Muitas mulheres gostariam de tomar essa decisão, mas não podem (seja por necessidade financeira ou realização profissional) optar por ficar em casa e se dedicar integralmente a um filho.

Nao existe certo ou errado na maternidade, existem escolhas e elas são pessoais e devem ser respeitadas, sempre. Respeite a mãe que decidiu pausar a carreira para investir no futuro dos filhos, no futuro da humanidade. Não há nada de louco, insano, corajoso, rico… Nessa decisão!

Beijos,

Ananda Urias
ananda@maezice.com.br
Curta nossa FanPage: Mãezice
Instagram e Snapchat: Maezice
Grupo no facebook Mãezice